Weather

31 maio 2018

XXX JOGOS NACIONAIS DOS CTT

Início a 31 de maio de 2018 em VISEU.



(imagem: Bilhete-postal dos CTT)

21 maio 2018

GERMANO ALMEIDA - PRÉMIO CAMÕES 2018

O PRÉMIO CAMÕES 2018 foi hoje atribuído ao escritor cabo-verdiano GERMANO ALMEIDA, um dos meus escritores preferidos pela notável capacidade de transmitir nos seus romances a vida genuína das gentes de Cabo Verde; de articular o formal e o informal; estabelecer os laços das várias ordens que norteiam a vida do povo cabo-verdiano.

GERMANO ALMEIDA, há muito despertou a minha atenção e merece o meu crédito literário.

Sem olvidar "O Testamento do Sr. Nepomuceno da Silva Araújo"; O Meu Poeta" (1992); "Estórias Contadas (1998); "O Dia das Calças Roladas" (1999); "O MAR NA LAJINHA" (2004), e outras obras, não posso deixar de enfatizar "Os Dois Irmãos" (1995), que adquiri em 29 de Maio de 1996 na Feira do Livro de Lisboa, e li num repente, por - como refere GERMANO ALMEIDA - ali "a realidade se confundir com a ficção".

GERMANO ALMEIDA foi a escolha unânime do júri do PRÉMIO CAMÕES.

PARABÉNS a GERMANO ALMEIDA e à LITERATURA DE CABO-VERDE, que muito justamente se encontram em FESTA.


(imagem da capa da edição de Outubro de 1995, da CAMINHO, do romance OS DOIS IRMÃOS)  




25 abril 2018

25 de ABRIL de 1974 – DIA DA LIBERDADE!



Hoje comemoram-se 44 anos de LIBERDADE!

Esta LIBERDADE que vivemos só se tornou possível com o golpe militar de 25 de ABRIL, movimento das FORÇAS ARMADAS a que a esmagadora maioria do povo português logo apoiou de forma empolgante e militantemente activa.

As FORÇAS ARMADAS, lideradas por jovens capitães, pôs termo a um período de quase 50 anos de DITADURA, onde se evidenciou o académico de Coimbra, ANTÓNIO DE OLIVEIRA SALAZAR, como Presidente do Governo.

Nesse regime político, tudo aquilo que não seguisse a orientação do PODER instituído era PROIBIDO, e todos quantos não se conformassem com a correspondente “cartilha” eram vítima de perseguição, proibição, vigilância “pidesca”, tortura, prisão, e, mesmo, assassínio.

A comemoração do 1.º de MAIO, Dia do Trabalhador, era proibida e reprimida a todo o custo.

Não surpreende, assim, que o 1.º de MAIO de 1974 tenha sido comemorado por milhares e milhares de portugueses, que – em MANIFESTAÇÃO – vieram para as ruas, em todo o País.

É deste 1.º de MAIO de 1974, comemorado em Lisboa, ainda em UNIDADE, que apresentamos uma foto do saudoso fotojornalista CARLOS GIL, que incansavelmente registou fotograficamente os eventos mais significativos do 25 de ABRIL e do movimento popular que desencadeou.



(foto digitalizada da brochura que foi editada para a exposição organizada em Abril de 2014 pela FUNDAÇÃO MÁRIO SOARES e intitulada “ROSTOS DA REVOLUÇÃO).

20 abril 2018

PARECE MENTIRA! ...



Hoje, em ALABAMA, foi executado por injeção letal, Walter Leroy Moody Jr., de 83 anos, depois de ter estado cerca de 30 anos detido no chamado corredor da morte.

Em 1991, Walter foi condenado por ter, através de atentados à bomba, morto um juiz e um advogado, em 16 e 18 de dezembro de 1989, respetivamente.

Cumpriu-se, mais uma vez, a justiça do “olho por olho, dente por dente”...

Mais palavras para quê?”



(imagem de: correio9.com.br)

08 março 2018

DIA INTERNACIONAL DA MULHER!

No DIA INTERNACIONAL DA MULHER, impõe-se salientar a infinita IMPORTÂNCIA da MULHER ao disponibilizar-se para ser MÃE, COMPANHEIRA, PROFISSIONAL, DOMÉSTICA E … MUITO, MUITO MAIS!...Uma verdadeira HEROÍNA!

Em singela homenagem a esta MULHER, transcrevemos o


POEMA DA MULHER NOVA

Vejo-te no mundo que não pára,
como um grande lenço rubro desfraldado.
Vejo-te em mim quando me sinto massa
com milhões de braços e de pernas e uma cabeça de anjo.
Vejo-te na vida em marcha,
nas mãos estendidas.
Vejo-te em toda a vibração,
nas plantações cobertas de girassóis e de papoulas,
no topo dos tractores arroteando a terra.
Vejo-te nua das sedas
com a boca rasgada numa canção de futuro
como um punho ameaçador à pestilência dos homens.
Vejo-te bela
com os cabelos ao vento,
em frente,
sem um talvez: perfeita.
Vejo-te mãe de milhões de homens novos,
de rosto calmo e olhos firmes,
através das labaredas e do fumo,
sem país e sem lar, a caminho da vida
na descoberta constante.
(imagem de vagalume.com.br)

06 março 2018

GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ - Capas vs. Livros (8)

Como, muito oportunamente, recorda a GOOGLE, GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ faria 91 anos, se ainda estivesse entre nós.

Este nosso preferido escritor, prémio Nobel da Literatura em 1982, escreveu muito e muito bem, motivo por que apoiamos e subscrevemos tudo quanto é feito para sinalizar a sua existência.

Em sua homenagem, da obra de que dispomos, escolhemos três dos seus livros, para aqui reproduzir as capas de:

1) CEM ANOS DE SOLIDÃO, Publicações Dom Quixote, colecção Ficção Universal, 11.ª edição, Novembro de 1995, tradução de Margarida Santiago, sem indicação da autoria da capa;

2) CRÓNICA DE UMA MORTE ANUNCIADA, Edições "O Jornal", 3.ª edição, Maio de 1986, Tradução de Fernando Assis Pacheco, Capa de João Segurado;

3) A aventura de Miguel Littín, Clandestino no Chile, Edições "O Jornal", 2.ª edição, Fevereiro de 1989, Tradução de Margarida Santiago, Capa de João Segurado.

   

27 fevereiro 2018

A CALÇADA PORTUGUESA e a ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

A importância histórica e artística da CALÇADA PORTUGUESA foi hoje, mais uma vez, enfatizada.

Com efeito, foi hoje publicada no Diário da República nº 41/2018, Série I, a Resolução da Assembleia da República n.º 54/2018 (http://data.dre.pt/eli/resolassrep/54/2018/02/27/p/dre/pt/html) onde se recomenda ao Governo a valorização da calçada portuguesa e da profissão de calceteiro.

Pela sua importância e significado, importa transcrevê-la:


A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição, recomendar ao Governo que:

1 - Mantenha a calçada portuguesa e valorize-a enquanto expressão artística e distintiva do nosso País, divulgando as suas técnicas.

2 - Estabeleça mecanismos de proteção desta arte, nomeadamente por via do levantamento e
inventariação da calçada portuguesa artística existente no País e no mundo, através da georreferenciação, e da inscrição no inventário nacional dos moldes, ferramentas, materiais, técnicas e processos associados à arte do calcetamento.

3 - Adote, em parceria com o poder local, políticas de conservação da calçada portuguesa que minimizem a sua degradação, sem prejuízo da incorporação de materiais que melhorem a sua mobilidade, aderência e conforto, tanto nas zonas históricas como nas zonas recentes.

4 - Valorize e dignifique a profissão de calceteiro, genuinamente portuguesa e intimamente ligada ao património cultural, promovendo a sua qualificação e estabilidade profissional.

5 - Promova a candidatura da calçada portuguesa a Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO, atenta a sua singularidade, internacionalmente reconhecida.